was successfully added to your cart.

Muito se fala sobre o estresse, que vem sendo caracterizado como a doença do século XXI. Um levantamento realizado pela Associação Internacional do Controle do Estresse, ISMA (International Stress Management Association), revelou que o Brasil é o segundo país do mundo em níveis de estresse altíssimos.

Apesar de tal assunto ser motivo de preocupação constante, muitos não entendem os mecanismos do nosso corpo que agem como resposta ao estresse. O Cortisol, por exemplo, é o principal hormônio liberado em situações em que estamos expostos ao estresse – e quando falamos do Cortisol, não podemos deixar de mencionar a fadiga adrenal.

 

Você pode ter fadiga adrenal, aprenda como tratá-la naturalmente:

Glândulas supra-renais equilibradas são uma parte fundamental para estar totalmente otimizado. Suas glândulas supra-renais criam e regulam o cortisol, o que as torna essenciais para controlar o estresse. Quando suas glândulas supra-renais funcionam do jeito que deveriam, você diminui a exaustação, se torna mais paciente e tem muito mais facilidade para enfrentar os desafios da vida.

Mas se você está sobrecarregado pelo estresse crônico, suas glândulas supra-renais podem estar esgotadas pela produção constante de cortisol. O resultado é fadiga adrenal. Seu nível natural de cortisol se torna irregular – às vezes você produz muito cortisol, às vezes não o suficiente – e seu corpo pode lutar para produzir outros hormônios, como androstenediona (o precursor da testosterona).

Post Relacionado: Guia Inicial Sobre Hormônios

Eu lidei com fadiga adrenal antes de desenvolver a Caffeine Army. Era difícil descobrir o que estava errado porque muitos médicos não reconheciam (e ainda não reconhecem) a fadiga adrenal como real. Uma grande razão é que, em muitos casos, a resposta ao estresse é confusa e afeta muitas partes da sua biologia, tornando difícil identificar como fadiga adrenal e ainda mais difícil de estudar como um foco.

A fadiga adrenal é real e é algo que você pode tratar.

Vamos falar sobre os sinais da fadiga adrenal, o que a causa, como impedir que isso aconteça e como tratá-la.

Quais são os sintomas da fadiga adrenal?

Primeiras coisas primeiro, verifique se você tem sinais de fadiga adrenal.

Eles incluem:

  • Sentindo-se cansado; lutando para acordar de manhã
  • Dificuldade em adormecer
  • Uma queda no meio da tarde
  • Ansiedade, ou sentir-se no limite
  • Mudanças de humor
  • Depressão
  • Ganho de peso
  • Problemas autoimunes
  • Névoa do cérebro (dificuldade para raciocinar e produzir)
  • Dores no corpo
  • Perda de cabelo
  • Tontura

Você pode notar que muitos desses sintomas são bem gerais. Este é um dos desafios com a fadiga adrenal: hormônios desequilibrados afetam tanto o seu corpo que é difícil escolher como uma culpa exclusiva das suas glândulas supra-renais.5 Hacks e a Fadiga Adrenal

Faça um teste de fadiga adrenal

Você pode apenas seguir o conselho no final deste artigo (é um bom conselho para o controle do estresse, mesmo se você não tiver fadiga adrenal), mas se você quiser ter certeza de que tem fadiga adrenal, recomendo que você faça um teste de cortisol com um médico funcional.

Os médicos convencionais frequentemente descartam os resultados do teste de cortisol porque eles estão “dentro da faixa normal” de cortisol. Mas se sentir como uma porcaria não é normal – e você não deveria aceitar isso.

Veja, por exemplo, o que acontece com a testosterona: 300 ng/dL está “dentro da faixa normal”, assim como 900 ng/dL também está. Porém, se você triplicar seus níveis de testosterona, prometo que se sentirá muito diferente.

É o mesmo com o cortisol. De manhã, o cortisol “normal” é de 7 a 28 µg/dL, no período da tarde, é 2-18 ug/dL.[1] Essa é uma variação enorme – e a razão pela qual não sugiro um médico convencional para um teste de cortisol. Você não quer normal, você quer o ideal.

Um médico de medicina funcional examinará com mais cuidado seus níveis de cortisol e poderá lhe dizer se tem fadiga adrenal.

O que causa fadiga adrenal?

Em última análise, fadiga adrenal vem de estresse a longo prazo.

Quando você está estressado, suas glândulas supra-renais liberam cortisol. Se você está constantemente estressado por muito tempo, você está constantemente produzindo cortisol. Com o tempo suas glândulas supra-renais tornam-se menos sensíveis à quantidade de cortisol que elas produzem e sua resposta ao estresse e o ritmo diário de cortisol se tornam irregulares. [2] [3]

Isso é quando você começa a ver as alterações no seu humor e energia.

Aqui estão algumas causas comuns de fadiga adrenal:

  • Dieta pobre em nutrientes
  • Falta de um sono adequado
  • Trabalhando muito duro
  • Traumas emocionais
  • Falta de exercício
  • Muito exercício
  • Exposição a fungos e bactérias

Todas essas coisas te estressam e sobrecarregam suas glândulas supra-renais.

5 Hacks para você tratar e prevenir a fadiga adrenal

Se você quiser evitar ou se livrar da fadiga adrenal, você tem que gerenciar seu estresse.

Felizmente gerenciar seu estresse é uma habilidade – e com um pouco de prática – você aprenderá a realizar como qualquer outra coisa. Aqui estão cinco dos melhores hacks que uso para controlar o estresse e tratar a fadiga adrenal.

1.Limpe a sua dieta

Corte açúcar, carboidratos refinados, álcool e outros alimentos inflamatórios, e os substitua por gorduras boas, vegetais ricos em antioxidantes e boas fontes de proteína.

Uma nota: eu normalmente sugiro o jejum intermitente como uma forma de aumentar a perda de gordura e a clareza mental. É incrível – mas o jejum intermitente é um estressor que faz você liberar cortisol. [4] Assim, caso suas glândulas supra-renais estejam se recuperando, é melhor você deixar de lado esse hack até tudo se normalizar.

Post Relacionado: Como fazer jejum intermitente para acelerar a perda de peso

2.Melhore seu sono

O sono é um ponto de atenção especial quando o assunto é a fadiga adrenal. Quando o seu cortisol está em todo o lugar, você pode ter dificuldade em adormecer e permanecer dormindo – o que, por sua vez, estressa ainda mais. É um ciclo vicioso.

Felizmente, há uma arte e ciência para dormir – e é realmente muito fácil de hackear. Muitas pessoas pensam que dormir é uma questão de oito horas por noite, mas a qualidade do sono é muito mais importante do que a quantidade de sono, especialmente quando se trata de equilibrar o seu cortisol. [5]  De fato, pessoas que dormem menos de 8 horas por noite tendem a viver mais tempo. [6] Eu tenho dormido cinco horas por noite nos últimos anos e meu desempenho só aumentou – claro que tal decisão deve vir acompanhada de uma mudança de estilo de vida e adoção de bons hábitos.

O truque é entrar em sono profundo rapidamente e ficar lá o maior tempo possível.

Post Relacionado: Sleep Hacking: Dicas e Práticas Para Melhorar Seu Sono

3.Preste atenção ao seu consumo de café

O café é mal entendido quando se trata de fadiga adrenal. O conselho padrão é evitá-lo inteiramente porque aumenta o cortisol. A realidade é um pouco mais complexado que isso.

O café aumenta o cortisol se você beber apenas ocasionalmente. Se você bebe todas as manhãs – sugiro que nunca à tarde, a menos que seja descafeinado! -, você cria tolerância à liberação de cortisol, mas não ao aumento da vigília do café. [7]

Para aumentar a tolerância ao cortisol, você precisa tomar café todas as manhãs. Se você beber apenas ocasionalmente, seu corpo não se ajustará e o café causará um grande pico de cortisol – o que não é nada bom para a fadiga adrenal.

Basicamente, quando se trata de fadiga adrenal e café, você deve ter uma abordagem tudo ou nada:

  • Beber café todas as manhãs ou
  • Cortar café completamente (ou beber descafeinado)

Se você decidir tomar café, sugiro o SuperCoffee para maior clareza mental e foco sem esforço, o que é crucial ao lidar com a fadiga adrenal.

Post Relacionado: Motivos para consumir cafeína

4.Tome suplementos anti-stress para tratar a fadiga adrenal

Os suplementos certos podem fazer uma enorme diferença na fadiga adrenal, melhorando a maneira como você lida com o estresse. Existem alguns suplementos diferentes para o estresse:

  • O magnésio por si só é ótimo para promover a calma. Suplemente com 400mg por dia ou menos, caso contrário você corre o risco de problemas gastrointestinais, como diarreia.
  • Os adaptógenos são incomuns porque modulam seu cortisol em ambas as direções: se o seu cortisol é baixo, adaptógenos o trazem para cima, e se o seu cortisol é alto, eles o trazem para baixo. Isso torna os adaptogênios particularmente valiosos para o tratamento da fadiga adrenal, na qual você geralmente lida com altos e baixos. Ashwagandha é meu favorito.
  • A L-teanina diminui as respostas fisiológicas e psicológicas do estresse. [8] É uma maneira poderosa de promover uma clareza calma. Você também pode emparelhá-lo com seu café da manhã para benefícios nootrópicos (também conhecidos como estimulantes do cérebro) – a L-teanina e a cafeína funcionam sinergicamente.

5.Levar a sério a meditação

Meditação de qualquer tipo é uma das maneiras mais poderosas de lidar com o estresse – e pode contribuir bastante para normalizar seus níveis de cortisol e tratar a fadiga adrenal. [9]

Se você quiser levar sua meditação para o próximo nível, sugiro 40 anos de Zen. Ele usa tecnologia avançada de neurofeedback para dar a você o cérebro de um monge zen vitalício – em cinco dias. Você também pode conferir o nosso guia de Meditação para outras maneiras de melhorar sua meditação e encontrar mais calma interior. Se você é novo em meditação, comece devagar, com apenas 5 minutos por dia, e trabalhe bem.

Post Relacionado: Meditação Para Iniciantes: Como Fazer, Significado, Benfícios e Aplicativos

Conclusão

Em suma, entenda que o controle do estresse é o melhor tratamento para fadiga adrenal. 

Não importa quem você é, você vai enfrentar grandes desafios em sua vida, mais cedo ou mais tarde. Aprender a lidar com o estresse e se tornar mais resiliente é uma das habilidades mais valiosas que você pode desenvolver.

 

Referencias:

[1] https://emedicine.medscape.com/article/20888…

[2] https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23992539

[3] https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25035267

[4] https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PM…

[5] https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26414625

[6] https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PM…

[7] https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PM…

[8] https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16930802

[9] https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23724462

Bruno Lima

Author Bruno Lima

More posts by Bruno Lima

Leave a Reply